Avenida Joana Angélica, 43 - Piedade - Salvador - BA - CEP 40.050-001 Fones: (71) 3329-4463 / 3329-6336  - Email: ighbahia@gmail.com

IGHB - Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.

IGHB promove mesa redonda: Guilherme de Mello e a Música no Brasil

09/06/2017

 

mesa redonda

 

Guilherme de Mello e a Música no Brasil

150 anos de nascimento

 

 

“Guilherme de Mello e a Música no Brasil – 150 anos de nascimento” é o seminário que acontece no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, com o apoio do projeto Memória Musical da Bahia. O encontro será realizado no dia 21 de junho, das 14h às 18h e vai reunir os especialistas Luiz Américo Lisboa Júnior, Marcos Santana e Jorge Ramos; com apresentação do Ateneu Musical (instrumental) e Coral Renascer (vocal).

O objetivo é uma iniciativa cultural e artística é celebrar os 150 anos de nascimento do Primeiro Historiador da Música no Brasil e apoia-se em conquistas culturais, educacionais e artísticas mais recentes como o retorno do ensino obrigatório de músicas nas escolas brasileiras e aconcessão  do título de Cidade da Música a Salvador pela UNESCO. Passado e presente estabelecendo uma relação dialógica em torno da presença da música na vida dos cidadãos.

Para além do simples deleite, a música no Brasil sempre esteve presente nos momentos mais decisivos da história, desde a chegada dos colonos portugueses, inaugurando o achamento da terra brasilis com a celebração da missa no Monte Pascoal; compondo hinos que marcaram a independência nacional após o Grito do Ipiranga; legitimando a Independência da Bahia, com a expulsão das tropasportuguesasfestejando efusivamente  a abdicação de D. Pedro I com o Hino 7 de Abril, atual Hino Nacional Brasileiro. As mais genuínas manifestações de cultura musical das populações nativas também ficariam registradas em publicações definitivas dos viajantes europeus entre os séculos XVII, XVIII e XIX.

Na Bahia e mais especificamente em Salvador e cidades do Recôncavo a música erudita, popular, cívica, sacra ou folclórica alcançaria um desenvolvimento de grande vulto se comparado às demais províncias. Analisada do ponto de vista musicológico por diversos autores que a estudaram de forma mais aprofundada este rincão da baianidade tornou-se celeiro de vocações artístico-musicais e o terreno sempre fértil nunca interrompeu a produção de talentos em todas as vertentes e gêneros consagrados pela lira de Euterpe, Apolo e Terpisícore e legitimados pelos toques dos Orixás. Música percussiva e melódica; cantochão europeu e ijexá africano, Tudo isso teria resultado em um caldeirão cultural cuja variedade de estilos e tendências se mostra cada vez mais sofisticada e se robustece nas trocas de idiossincrasias regionais e no mergulho de interatividade e apropriação das tecnologias mais atuais.

Assim é que partimos dos instrumentos rudimentares dos séculos passados e absorvemos os mais complicados mecanismos de acesso à chamada música eletrônica disponíveis em computadores, tabletes e celulares. No bojo de toda essa parafernália que a música alcançou no século XXI é que inserimos a efeméride dos 150 anos de nascimento daquele menino órfão de São Joaquim que acreditou piamente no seu potencial artístico e intelectual e investiu toda a sua energia para alcançar os objetivos que perseguiam o seu destino, vindo a se tornar um vulto da nacionalidade ao ser reconhecido por Heitor Villa Lobos e receber o título intrasferível de Primeiro Historiador da Música no Brasil.

Para nós baianos é motivo de muito orgulho poder estabelecer vínculos com os ideais de cidadania implícitos na história de vida de Guilherme de Mello, daí surge o nosso entusiasmo e a nossa inspiração para prestar-lhe um Tributo de reconhecimento póstumo em 2017.

Baseado nessas prerrogativas, será lançado no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia o Ano Guilherme de Mello, cujos desdobramentos contarão com parcerias com instituições de cunho histórico, legislativo, acadêmico, cultural e educacional com o intuito de promover a socialização mais ostensiva de um nome insigne que foi projetado de Salvador para o mundo e uma trajetória de vida que se distingue, sobretudo, pela capacidade de superação de limites e barreiras sociais.

 

 

GUILHERME DE MELLO E A MÚSICA NO BRASIL

[150 anos de nascimento]

 

 

PROGRAMAÇÃO

14h – Cerimônia de abertura e lançamento do Ano Guilherme de Mello

14h15 - Marcos Santana (Membro IGHB,professor de música, escritor e pesquisador)

Tema: O Hino Nacional Brasileiro sobre o crivo de Guilherme de Mello

14h45 - Luiz Américo Lisboa Júnior (Membro IGHB, professor e escritor)

Tema:Guilherme de Mello: pioneiro na história da Música Popular Brasileira

15h15 - Jorge Ramos (Membro IGHB, jornalista e escritor)

Tema: Mestres de banda: a didática no ensino de música na Bahia

15h45 - Debate

 

16h15 - Atrações artísticas: Ateneu Musical (instrumental)e Coral Renascer (vocal)

Interpretarão duas músicas:

Tributo a Guilherme de Mello

Hino Nacional Brasileiro

17h - Cerimônia de encerramento

 

 

 

 

Please reload

Horário de funcionamento do IGHB

 

Visitação: de segunda a sexta, das 13h às 18h

 

Biblioteca: de segunda a sexta, das 13h às 18h

 

Arquivo: de segunda a sexta, das 13h às 17h

 

Administrativo: de segunda a sexta, das 13h às 18h