Avenida Joana Angélica, 43 - Piedade - Salvador - BA - CEP 40.050-001 Fones: (71) 3329-4463 / 3329-6336  - Email: ighbahia@gmail.com

IGHB - Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O CURSO HISTÓRIA DA BAHIA

17/07/2016

O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, com apoio da Secretaria de Cultura, Fundação Pedro Calmon e Fundação Gregório de Mattos, está com inscrições abertas para a quinta edição do CURSO DE HISTÓRIA DA BAHIA. Ministrado e coordenado pela professora doutora Antonietta D´Aguiar Nunes, as aulas vão acontecer uma semana por mês, sempre das 14h às 17h, entre agosto a novembro, com carga horária de 80 horas (ver programação abaixo).


Durante o curso serão debatidos temas como a Pré História Brasileira e Baiana; capitanias hereditárias; primeiros engenhos; o séc. XVIII baiano: ouro em Rio de Contas e Jacobina; Revolução dos Búzios; a província da Bahia do sec. XIX; a Bahia republicana; revolução de 1930 e a chamada Era Vargas, dentre outros.


Em 2013, durante a terceira edição do encontro, o IGHB lançou, com o apoio da Bahiatursa, o livro “Conhecendo a História da Bahia – da pré-história a1815”, de autoria da historiadora Antonietta D´Aguiar Nunes. A publicação referiu-se ao período que vai desde a pré-história nas terras hoje consideradas Brasil, a chegada dos europeus, a colonização chegando até a elevação do Brasil a Reino Unido aos de Portugal e Algarves numa comunidade lusófona de nações. O segundo volume, Conhecendo a História da Bahia no período monárquico (1815-1889), com previsão de lançamento em novembro, refere-se ao período monárquico, abrangendo o Brasil Reino e o Brasil Império até a Aclamação da República na Bahia, uma das últimas províncias a aderir ao novo regime de governo: 1815 a 1889.
Estão sendo oferecidas 180 vagas. A taxa de inscrição é R$ 100,00 (cem reais) e pode ser feita pelo site www.ighb.org.br – Informações: Avenida Joana Angélica, 43, Piedade, e tel. 71 3329 4463 (das 13h às 18h). 


Sobre a coordenadora: Antonietta D´ Aguiar Nunes é instrutora e coordenadora do Curso de História da Bahia desde 2011. Graduou-se em História em 1963 pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Ufba. Residiu em São Paulo onde fez a Pós-Graduação em Arte e Arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, lecionando História na Pontifícia Universidade Católica e na Faculdade Prof. Carlos Pasquale. Retornando a Salvador, ensinouHistória da Bahia na Faculdade de Turismo da profª Olga Mettig e ingressou na Faculdade de Educação da UFBA para dar aulas de História da Educação, como professora substituta e depois concursada, onde fez o Mestrado e o Doutorado. Foi ainda Historiógrafa do Arquivo Público do Estado da Bahia, desde 1981 até quando se aposentou em 2011.


SERVIÇO
O que: Curso de história da Bahia
Quando: agosto a novembro de 2016 (quatro módulos)
Coordenadora e Instrutora: Antonietta D´Aguiar Nunes
Historiógrafa do Arquivo Público do Estado da Bahia por 30 anos e professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia.
Valor: R$ 100,00 (cem reais)
Carga horária: 80 horas


Inscrição clique aqui.

 

 

Programação

 

AGOSTO:


22– Pré História brasileira e baiana. Índios que viviam na Bahia quando os europeus aqui chegaram.
23 – Descobrimento do Brasil na Bahia / Expedições exploradoras, guarda-costeiras e colonizadora. Escambo do pau Brasil. Naufrágio de Diogo Álvares Correia em 1509 (Caramuru) Capitanias hereditá-rias baianas em 1534: Todos os Santos, Ilhéus, Porto Seguro, (e Pernambuco). Capitanias de Itaparica e Tamarandiva, Paraguaçu e Sergipe d´El Rei.
24 – Governo Geral, fundação de Salvador. Instâncias administrativas Administração eclesiástica: divisão em freguesias, e Criação do Bispado de São Salvador e instituição do Arcebispado. O sistema do Padroado e a Propaganda Fidae.
25 - Os Jesuítas e seu sistema educacional: com os índios e negros; b) colégios urbanos c) Destacados jesuítas 
26 – Primeiros engenhos e negros vindos para o Brasil. Tráfico negreiro. Monumentos históricos do sec. XVI.

TEXTOS:
Pré-história brasileira e baiana in p.33-55 da REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 107, referente ao ano de 2012.
Reminiscências da capitania de Paraguaçu: memória histórica de Jaguaripe nos secs. XVI e XVII. REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA no 92, p 267-286, jan/dez 1996. 
A obra catequética dos indígenas pelos jesuítas na Bahia – publicado no nº 102 da REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA (ISSN 1516-344X), p. 55-80, 2007. 
Educação jesuítica na Bahia colonial: os colégios urbanos, publicado no nº 103 da REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA (ISSN 1516-344X), p. 123-163, 2008.
Relação “educativa” do governo português com os índios nos tempos coloniais (Trabalho apresentado no Encontro Estadual da ANPUH em Vitória da Conquista, julho 2008 e no V CBHE em Aracaju, Sergipe, novembro 2008)  Publicado às p. 55-77 da REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 105, referente ao ano de 2010.

 

 


SETEMBRO


12 – Açúcar como principal gênero no Recôncavo. A expansão pecuária: casas da Torre e da Ponte: o ciclo do boi, fornecimento de gado para a região das minas. Fumo e economia de subsistência e mandioca como subsidiárias da economia açucareira
13 – União Ibérica. Governo de Luiz de Souza (1617-1622) e a criação do Estado do Maranhão e Grão Pará (1621). Ocupação holandesa em Salvador. Pesca da Baleia.
14 – Defesa da Bahia nos secs. XVI a XVIII. Novo plano de fortificação da cidade (João Massé, 1714). O sec. XVIII baiano. Exploração aurífera. Ouro em Rio de Contas e Jacobina. Casas de Fundição. Tropas de burros.  Monumentos sec. XVII.
15 – Restauração Portuguesa 1640 a 1750. Aldeias administradas de índios no interior. Fundação do seminário de Belém. Peste da “bicha” (febre amarela) e S. Francisco Xavier como padroeiro de Salvador. Barroco nas igrejas baianas da 1ª metade do sec. XVIII. Reforma na Universidade de Coimbra.
16 – Reinados de D. José I e D. Maria I: 1750 a 1816. Terremoto de Lisboa em 1755. O Marquês de Pombal e suas reformas administrativas e educacionais. Mudanças das capitais dos dois estados da América Portuguesa. Expulsão dos jesuítas e criação das Aulas Régias. Monumentos sec. XVIII.

 

TEXTOS:
Bispos e Arcebispos da Bahia no tempo do Padroado. REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 97 p. 23-60, 2002.
As 59 freguesias do Recôncavo baiano antes da República – nos Anais do V Congresso de História da Bahia. Salvador: Instituto Geográfico e Histórico da Bahia / Secretaria de Cultura e Turismo do Estado da Bahia / Fundação Gregório de Mattos, 2004, v. I p. 281-293. 
Diversos grupos negros africanos que vieram para a Bahia desde o século XVI. REVISTA DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO BRASILEIRO v. 150 n.364 - julho/setembro 1989, p. 380-409.
A educação na Bahia durante os governos de D. Maria I e de D. João, seu filho (1777-1821) in REVISTA DO MESTRADO EM EDUCAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, v. 7, p.37-50,dez.2003
O marquês de Pombal e suas reformas no ensino – in REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 101, ISSN 1516-344x, p. 73-96, 2006.

Lançamento do livro: História baiana dos tempos pré-históricos a 1815

 

 

 

OUTUBRO


17 – Formandos na Universidade de Coimbra reformada. Anseios de liberdade – índios. Anseios de liberdade – brancos.  A vinda da Família Real para o Brasil, Instituição do Reino do Brasil. Governo do 8º Conde dos Arcos na Bahia: aulas régias, Biblioteca, Teatro, Associação Comercial, Seminário diocesano.
18 – Brasil Reino. Independência. Luta pela expulsão dos portugueses. Brasil Império. Governo de Pedro I.
19 – Missão artística francesa e Neoclassicismo. Brasil Império. Período Regencial. Anseios de Liberdade – negros. A Sabinada
20 –Reformas de igrejas Para o Neoclássico. Governo de Pedro II. Guerra do Paraguai
21 – Proclamação da República projetos educacionais em conflito. (Apres. Tese AAN: 56q). Monumentos sec XIX.

 

TEXTOS:
O governo do 8º Conde dos Arcos (D. Marcos de Noronha e Brito) na Bahia (1810-1818) e sua política educacional publicado às p. 13-32 da REVISTA DA FACED/UFBA nº 12, jul/dez 2007.
O processo da independência na Bahia. REV. DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA no 90, p. 211-223, 1992.
Educação na Bahia no primeiro quartel do séc. XIX publicado às p. 226-238 dos Anais do Simpósio Internacional A Família Real na Bahia 1808-2008 promovido pelo Instituto Geográfico e Histórico da Bahia de 13 a 16 de maio de 2008
Notas sobre a educação na Bahia no período regencial in REVISTA ESTUDOS ACADÊMICOS Salvador: Faculdade Ruy Barbosa, ano V v.I, p.49-57, jun.2003
A formação dos sistemas públicos de educação no sec. XIX e sua efetivação na província da Bahia – publicado na REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 99, p.75-113, 2004.

 

 

 

NOVEMBRO


21 – Aclamação da República na Bahia: Separação da Igreja e Estado. O episódio de Canudos.  Advento da prosperidade cacaueira.
22 – Bombardeio de Salvador e sua remodelação. Educação na Bahia durante a 1ª república. Reforma Escola Nova no governo Goes Calmon. Desenvolvimento de indústrias e movimentos grevistas. A “involução” baiana. A Revolução de 1930 e a chamada “era Vargas” na Bahia. Isaias Alves e sua atuação.
23 – Redemocratização de 1946, constituição estadual, governo Otávio Mangabeira e a atuação de Anísio Teixeira. Arte Moderna na Bahia 1.
24 – Desenvolvimento baiano: descoberta e exploração do Petróleo, CPE, Centro industrial de Aratu, Pólo Petroquímico de Camaçari.  Arte Moderna na Bahia 2.
25 - O período do governo policial-militar na Bahia (1964-1985) (56q).  Monumentos do sec XX///

 

TEXTOS:
O advento da República na Bahia – nos Anais do V Congresso de História da Bahia. Salvador: Instituto Geográfico e Histórico da Bahia / Secretaria de Cultura e Turismo do Estado da Bahia / Fundação Gregório de Mattos, 2004, v. II p. 695-706.
Hermes Ernesto da Fonseca: irmão do proclamador da República, governador da Bahia e sua política educacional in p.23-47 da REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 110, referente ao ano de 2015.
Administração educacional na Bahia republicana in MATTA, Alfredo / NUNES, Antonietta et allii (orgs) Educação, Cultura e Direito – coletânea em Homenagem a Edivaldo M. Boaventura. Salvador: EDUFBA, p.83-120, 2005.
Educação na Bahia durante a primeira república. REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO  HISTÓRICO DA BAHIA nº 96, 2001, pp.219-252. 
Centenário de elevação da primeira vila do Recôncavo baiano (Jaguaripe) a cidade. Na REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA nº 95, Salvador, p. 153-196, 2000.

Lançamento do livro: História baiana no período monárquico (1815-1889).

 

 

Please reload

Horário de funcionamento do IGHB

 

Visitação: de segunda a sexta, das 13h às 18h

 

Biblioteca: de segunda a sexta, das 13h às 18h

 

Arquivo: de segunda a sexta, das 13h às 17h

 

Administrativo: de segunda a sexta, das 13h às 18h